Enxergar o óbvio não é tão fácil assim

Hallo!

Eu sei que faz muito tempo que não apareço por aqui, mas acreditem: é por uma boa causa (por mais que me doa o coração ficar longe daquilo que eu mais amo, por tanto tempo – moda e comunicação).

Durante toda a minha vasta existência nesses 17 anos de vida, eu sempre tive uma única certeza: a de que eu iria cursar moda. Porém, agora que o ano do vestibular chegou, comecei a não ter tanta certeza disso mais – não por não gostar tanto de moda quanto antes (até porque moda é a minha vida, o que eu respiro, a única coisa que eu realmente sei falar sobre, com convicção), mas, por medo. Medo de chegar ao fim do curso e não saber qual área seguir, medo de não conseguir um emprego e não puder me sustentar, medo do quão cruel esse mundo pode ser, e, principalmente, medo de não ser boa o bastante.

Por causa de todos esses medos, comecei a pesquisar sobre outros cursos… Pensei em cursar arquitetura, uma vez que eu amo a parte relacionada a história do curso. Pensei em cursar direito, porque possui opções de emprego bem-remuneradas e, após ganhar alguma experiência, poderia fazer Itamaraty. Pensei em cursar jornalismo, pelo glamour da tela de televisão, e porque sei/gosto de me comunicar bem com os outros. Pensei até em administração, pois parece ser mais fácil conseguir um bom emprego. Tive também a época de psicologia, hotelaria e produção de eventos.

Nunca me senti tão confusa. Eu pensava nos cursos pela remuneração envolvida, mas nunca consegui me enxergar atuando em nenhuma das áreas citadas acima. Simplesmente porque não me encaixo em nenhuma delas! Aquilo não sou eu. Não é “a Carolina”. Eu seria, além de infeliz, mal-sucedida por não estar fazendo aquilo que realmente gostava.

Mas não pense que foi fácil colocar os medos de lado e enxergar o óbvio, porque não foi. Eu passei noites em claro pensando sobre isso e chorando desesperada porque o vestibular já está aí. Meus pais e amigos são verdadeiros guerreiros por aguentar minhas lamúrias por tanto tempo – e eu só tenho a agradecer a eles.

Voltando ao assunto “curso de moda”… Eu ainda não faço a mínima ideia de qual área seguir – e concordo que seja muito cedo para decidir, uma vez que ainda não tive contato com todas elas. E quer saber uma coisa? O pensamento mais estúpido que eu já tive foi sobre não ser boa o bastante.

Como eu não seria boa o bastante, se estaria fazendo aquilo que gosto? Só uma pessoa muito ninja para conseguir tal proeza, porque quando a gente gosta de algo, e realmente quer, não há tempestade alguma que nos impeça de chegar lá!

Moda pode não ser um curso convencional, e eu estou ciente de toda a ralação e sofrimento que estou me sujeitando, mas eu também sei que é nesse meio conturbado que serei feliz. Não importa qual área eu escolha, darei o meu melhor, e o mundo ainda vai ouvir muito falar sobre uma tal de Carolina Innecco!

Não que eu não esteja com medo – porque realmente estou, e muito – mas vocês não tem noção do alívio que dá quando a neblina que esconde seu futuro, clareia um pouco. Aquela certeza de que, por mais que para alguns pareça errado, você vai conseguir nadar contra a correnteza e provar que era o certo.

Se Gabrielle Chanel, no meio de tanto perrengue, não desistiu, não será eu quem irá arregar! O mundo precisa de roupas, a história se explica pelas vestimentas. E eu? Bem, eu espero conseguir contribuir positivamente para que a história continue sendo contada.

O que eu quero dizer com todo esse blá blá blá é: faça o que você gosta! Clichê, mas a pura verdade.

Xxx -Carol

Militarizando

Hallo!

Uma tendência que está no front da moda desse outono é o estilo militar. É hora de tirar do fundo do armário aquelas peças camufladas que você achava que nunca mais iria usar! Mas atenção: a tendência da vez é chic, com ombros estruturados e cintura em evidência – puxando para a década de 1940, Segunda Guerra…

O visual mais destroyed (com cargos e tricôs camuflados) não está no alto escalão da vez. O verde-oliva ainda lidera o exército, mas acompanhado de uma nova tropa: azul-marinho, bege e até branco! Assim como aprendemos a brincar com o animal print, podemos brincar com o camuflado também!

Ainda não tem ideia de como aderir o estilo ao seu look? Se liga aí:

– Abuse de saias com fivelas, blusas de seda com bolsos grandes, coletes utilitários. Deixe trenchs para os dias de frio e use-os como vestido.

– A parka pode ser usada com um cinto mais largo na cintura, a fim de modelar, porém, só as magrinhas devem optar por isso.

– A estampa é super despojada e cai hiper bem com blusinhas mais românticas de renda (mas pare com o romantismo por aí, senão vira uma guerra de estilos!).

– Não tenha medo de usar um broche de predarias na parka.

E a dica de ouro: lembra dos soldados escoceses? Vale muito usar um paletó com kilt!

Quer inspiração? Se espelhe na galeria aqui em baixo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Enjoy!

 

 

Xxx -Carol

London Fashion Week

Hallo!

Dando continuação às semanas de moda internacionais, é a vez do London Fahion Week, que começou hoje!

Organizado pelo Conselho Britânico de Moda (BFC) para a London Development Agency com a ajuda do Departamento de Negócios, Inovação e Habilidades, obtendo o primeiro lugar em 1984 e, atualmente, juntamente com NY, Paris e Milão, formam as “Big Four” (quatro melhores) semanas de moda do mundo.

O local do evento é a  Somerset House, aonde é estimado que movimentam-se mais de 100 milhões de euros. Em cada evento frequentam, em média, 5000 mil pessoas.

Há uma grande tenda no pátio central, que abriga uma série de desfiles de estilistas e casas de moda, enquanto que uma exposição, alojada no interior Somerset House, mostra mais de 150 designers. No entanto, muitos “off-agendar” eventos, como Vauxhall Moda Scout e On |. off, são organizados por outros grupos privados financiados e ocorrem em outros locais no centro da cidade.

Na Primavera de 2010, a London Fashion Week tornou-se a primeiro grande semana de moda de abraçar a mídia digital, quando ofereceu todos os designers que estavam mostrando suas coleções na passarela da Somerset House a oportunidade para transmitir seus shows ao vivo na Internet. Os desfiles podem ser vistos no site oficial da London Fashion Week (ou você pode clicar aqui).
Coleções masculinas foram introduzidas no evento no verão de 2012, pela primeira vez.

Esse ano, mais de 120 designers foram selecionados para apresentar suas criações, e pelo menos a metade deles são novatos no evento, ou seja, podemos esperar bastante novidades.

 

xxx -Carol

New York Fashion Week e um pouquinho de sua história

Hallo!

Bem, já foi dada a largada para as semanas de moda com a NYFW, então, ao invés de vir falar sobre as tendências, o que se destacou nessa primeira fashion week e afins, resolvi falar sobre elas. Sim, aula de história amores!

Tem muita gente que sabe até de cor as datas das tão esperadas semanas de moda mundiais (coisa que nunca consegui memorizar), mas mal conhecem a história delas. E é tão divertido se sentir nerd em relação a alguma coisa que você goste e saber falar sobre isso tendo certeza do que está dizendo… Ou estou errada?

E a história da moda, ao meu ver, é algo muitíssimo interessante, pois o “novo” nem sempre é novo. A moda é reinventada dia após dia; fazer moda é olhar para o passado (não há nada que se possa inventar sem a compreensão do que já foi feito), e se espelha no mundo, na massa, nos acontecimentos.

A Semana de Moda (Fahion Week) é um evento da indústria da moda que permite que os designers de moda mostrem ao mundo suas criações para a temporada por meio de desfiles, aonde os compradores e fashionistas observem as tendências, o que está in e o que está out. São eventos semestrais, sendo que entre de janeiro a abril são expostas as coleções de outono/inverno e de setembro a novembro, primvera/verão.

As semanas de moda mais importantes e visitadas são as de Londres, Nova Iorque, Paris e Milão. No Brasil a mais conhecida é o São Paulo Fashion Week, e logo após vem o Fashion Rio.  A semana de Moda inicia-se em Nova Iorque, passa por Londres e Milão e finaliza em Paris.

O primeiro evento em nível mundial aconteceu em NY, e, como é a que “puxa a fila” para as outras semanas de moda, é sobre ela que falarei hoje.

O New York Fashion Week  (NYFW), atualmente conhecido como Mercedes-Benz Fashion Week, teve sua primeira edição em 1943. A intenção era de atrair olhares para a moda francesa, já que, na época, o mundo presenciava uma guerra e era inviável que os recém-formados fossem a Paris (aonde o mercado era maior, as tendências eram ditadas, e até hoje, considerada a Capital da Moda) para ter contato com a moda européia. Pela iniciativa da publicitária Elanor Lambert, os criadores de estilo puderam expor seus materiais nas passarelas da Press Week, o primeiro grande evento da moda. Considerada um sucesso, o evento perdura até hoje e a cada ano se supera.

Achei digno colocar no post uma música da Rainha do Pop que é totalmente it para sempre, sem contar que muito da história da Madonna e da sua carreira tem a ver com moda.

“Vogue
(Vogue)
Beauty’s
Where you find it
(Go with the flow)”
                                                                                                                                                            xxx -Carol
PS: Curta nossa página no Facebook! Clique aqui!

 

Summertime!

Férias, finalmente, heim?

Como este é o primeiro post do Blog, gostaria de falar um pouco sobre ele, a escolha do nome e afins.

O nome “Too Much About Nothing” (traduzido literalmente como “muito sobre nada”) veio da ideia de que a gente sempre sabe um pouco mais sobre algum determinado assunto, sendo que os meus assuntos favoritos (moda/música/leitura) – os quais eu acredito saber bastante (não que eu ache que sei tudo, eu tenho a consciência de que o que eu sei pode ser comparado com a pontinha do iceberg) – serão comentados/retratados aqui.

Não espere posts perfeitos, eu cometo muitas gafes sem perceber, e você é livre para me corrigir se perceber algo errado no post, acrescentar informações…

O nome também pode ser remetido à música “Nothing” da Edie Brickell & New Bohemians, que tem uma estrofe que diz “There’s nothing I hate more than nothing
Nothing keeps me up at night
I toss and turn over nothing
Nothing could cause a great big figh”.

É uma ótima música, vale à pena ouvir!

“Avulso” seria um bom adjetivo para descrever o Blog; “estranho” provavelmente servirá também em algumas ocasiões.

Os olhos na foto acima do nome são meus. Estão lá porque não achei foto melhor. Sintam-se livres de me mandar sugestões via Twitter ou Tumblr!

Abrindo a página “Mande Seu Look” você pode me enviar fotos de Looks que você ache legais, e eu avaliarei cada um, e todo domingo publicarei-o, e ele ficará visível por toda a semana no “Pic do Momento” no menu de rodapé do site.

Na página “Tutoriais” eu postarei os links de todos os tutorias que forem publicados aqui.

No rodapé do site há vários widgets, sendo que um deles é o meu Twitter, aonde podem me encontrar a qualquer momento, me seguir (claro, por favor), e conversar, tirar dúvidas e o que mais quiserem.

“O que está in?” é um widget que mostra o post ou comentário mais visualizado, e, nessa mesma coluna, abaixo do campo de pesquisa há uma frase, que poderá ser atualizada sempre que quiserem mandar sugestões.

                                                                               That’s not all, folks!

Nos veremos mais vezes, não se preocupem. Espero ter conseguido explicar direito como irei trabalhar com o Blog.

 

xxx – Carol